domingo, 19 de fevereiro de 2017

Moreirenses pelo Mundo! Barcelona conquistada...


Mais uma cidade conquistada e enfeitada pelo verde e branco do Moreirense. Desta vez foi a Sofia que levou as cores do Moreirense a Barcelona, Espanha. A cidade que normalmente veste as vermelho e azul, nunca ficou tão linda como com as cores do Moreirense.


Se viajarem pelo mundo, já sabem, levem sempre as cores do Moreirense e enviem as fotos para sandro@moreirense1938.com



sábado, 18 de fevereiro de 2017

Augusto Inácio: «Ainda estamos a meio pau»


Declarações de Augusto Inácio, treinador do Moreirense, na sala de imprensa do Parque de Jogos Comendador Joaquim de Almeida Freitas, depois do empate (1-1) na receção ao Estoril:

«Perdemos dois pontos. Perante o momento que estamos a passar sabia que íamos sofrer nos últimos vinte minutos. O Moreirense tinha um processo de jogo, que se alterou completamente. Alterou-se porque o treinador não inventa e tenta ter mais produção para a equipa. Sabia que o Alex e o Sougou não iam aguentar os noventa minutos, apesar da qualidade que têm. Olhando para o banco, sabia que não podia acrescentar qualidade à equipa.

O Estoril tem uma oportunidade de golo, um autogolo, de resto não teve mais nada. Nós tivemos duas bolas na trave e mais alguns lances de perigo, acho fizemos uma primeira parte mais ou menos conseguida, porque nós não temos um dez, um organizador de jogo para jogar em 4x2x3x1 e alterámos para um sistema tático menos elaborado. Trabalhamos numa alternativa, 4x4x2, isso requer processos e rotinas de treino e vai-se perdendo pontos assim. Temos de nos lamentar de não conseguir segurar o resultado e fica uma pontinha de azar, porque o Estoril, enfim, teve uma oportunidade num lance infeliz. Somamos um ponto, queríamos três.

[Mudança no processo] «Temos de verificar o momento em que as coisas se passaram. De repente ficamos sem dois titulares rotinados, olhando para aquilo que temos, há que alterar também o sistema. Não é do meu agrado, prefiro um meio campo forte. Ter o meio campo esforçado sem um elemento que liga depois ao ataque desgasta a equipa. O Cauê e o Fernando Alexandre são dois animais a correr, dois grandes campeões, porque com o posicionamento da equipa obriga a um grande desgaste».

[Reformulação no mercado de inverno] «Normalmente estas equipas como o Moreirense recebem sempre jogadores que não jogam noutros lados, por variadas razões. Não há dinheiro para contratar a equipas em que estão a jogar. Disse que, se não houvessem lesões, dentro de três semanas ia ficar com uma grande equipa. Neste momento ainda estamos a meio pau, com os jogadores em boas condições o Moreirense tem mais hipóteses de ganhar pontos».

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/moreirense/augusto-inacio-ainda-estamos-a-meio-pau"

Moreirense-Estoril, 1-1 (destaques)



FIGURA: Alex

O tecnicista da equipa de Moreira de Cónegos, a dar critério e qualidade de passe às tentativas do Moreirense romper a defesa adversária. O extremo esteve na maioria dos lances de perigo da equipa orientada por Augusto Inácio, intervindo, por exemplo, nas duas bolas enviadas aos ferros na primeira parte. Bateu quase todas as bolas paradas da equipa do Moreirense e merecia mais do que o empate, ainda que tenha saído do encontro demasiado cedo.

MOMENTO: Rebocho trai tranquilidade de Sougou (85’)
Kléber abriu na esquerda para Tocantins, o jogador do Estoril cruzou de imediato e é Rebocho quem acaba por introduzir a bola na própria baliza a tentar evitar que Licá conseguisse chegar ao esférico para fazer a emenda.

POSITIVO: convívio entre claques
Pouco usual. As claques do Moreirense e do Estoril trocaram mimos, pela positiva, antes e durante o encontro. Os adeptos da casa chegaram mesmo a gritar pelo Estoril, enquanto que do lado oposto os adeptos que trajaram de amarelo gritaram Moreirense. A claque do Estoril inclusivamente mostrou uma tarja onde se lia «Amizade eterna».

OUTROS DESTAQUES

Roberto
Muito trabalhador, o avançado do Moreirense esteve perto de conseguir um grande golo. Depois de assinar o melhor golo da jornada passada, assumiu novamente a candidatura, mas o ferro travou-lhe as intenções. Jogo de luta entre os centrais estorilistas.

Diogo Amado
Interventivo no meio campo da equipa montada por Pedro Carmona, o médio teve de se adaptar às contingências do jogo, tendo de jogar sem bola e m tarefas mais defensivas. Ainda assim, cumpriu e tentou dar expressão ofensiva à equipa da linha.

Sougou
Seis meses depois a Liga voltou a inscrever o nome de Sougou na lista de marcadores. O senegalês resgatado pelo Moreirense no segundo escalão do futebol inglês estreou-se a marcar com a camisola dos Cónegos, apontando o golo dos Cónegos. Driblou os centrais adversários e bateu Luís Ribeiro com muita tranquilidade depois de parar a bola com mestria.

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/18-02-2017/moreirense-estoril-1-1-destaques"

Moreirense-Estoril, 1-1 (crónica)


O contraciclo continua, mas de forma ténue. O Estoril aumentou para três o número de jogos sem perder, o Moreirense continua sem ganhar depois da conquista da Taça da Liga com o empate desta tarde entre os dois emblemas. Resultado (1-1) penalizador para o Moreirense, que assumiu as despesas do jogo e viu a equipa da Linha chegar ao empate a cinco minutos dos noventa, com um autogolo.

Para trás ficam duas bolas enviadas aos ferros da baliza do Estoril, dois golos anulados por fora de jogo e mais uma série de lances sancionados pelos árbitros assistentes. Foi dessa forma, subindo as linhas para apanhar os velocistas axadrezados na malha do fora de jogo, que o Estoril conseguiu suster o maior ímpeto dos Cónegos, mas faltou depois capacidade criativa e de construção de jogo.

Separados apenas por um ponto, os dois emblemas tinham no embate desta tarde dose acrescida de impotências, mas o Estoril sofreu um retrocesso na recuperação a nível exibicional, demonstrando poucos argumentos. Ainda assim, consegue um ponto e não se deixa ultrapassar pela equipa de Inácio.

Mais Moreirense, mas em posição irregular

A equipa da casa, o Moreirense, entrou claramente melhor no jogo apesar das quatro alterações, três delas forçadas, em relação ao jogo com o Sporting. Logo aos quatro minutos Diego Ivo, uma estreia absoluta na Liga, abanou as redes canarinhas, mas estava assinalado fora de jogo.

Aliás, um dos grandes duelos da primeira metade foi precisamente do ataque do Moreirense contra a defesa subida do Estoril, que deixou constantemente os dianteiros de Augusto Inácio em posição irregular.

Mesmo assim, quando se conseguiu desenvencilhar da estratégia adversária, o Moreirense ainda enviou duas bolas aos ferros. Boateng foi o primeiro a fazer estremecer o travessão depois de um desentendimento entre a dupla de centrais da equipa da linha. O remate com o pé esquerdo deixou Luís Ribeiro sem reação.

Depois foi Roberto a tentar fazer um chapéu ao guarda-redes do Estoril, mas a bola embateu caprichosamente quando quase já se gritava golo. Grande momento do avançado. Pelo meio fica uma série de cruzamentos venenosos e lançamentos para o ataque que, invariavelmente foram travados em fora de jogo.

Sougou desata o nulo, mas Rebocho não quebra a malapata

Pouco Estoril em Moreira de Cónegos, a equipa de Pedro Carmona a não confirmar os índices de retoma evidenciados nos últimos jogos. Apenas de livre, apontados por Kléber e sem grande perigo a equipa da linha ia esboçando reagir à superioridade do Moreirense.

Foi por isso sem surpresas que os Cónegos se adiantaram no marcador nos minutos iniciais da segunda metade. Sougou conseguiu iludir a marcação adversária depois de um lançamento de Cauê, desviando depois o esférico do guarda-redes Luís Ribeiro. Desta vez nem o fora de jogo conseguiu resgatar o Estoril.

Contudo, Inácio mexeu na equipa e, a exemplo do que aconteceu diante do Sporting, o Moreirense encolheu-se em demasia, abrindo espaço a um crescimento tímido do Estoril.

Os Cónegos puseram-se a jeito e a cinco minutos dos noventa o Estoril chegou ao empate com um autogolo de Rebocho. Cruzamento de Tocantins da esquerda, o lateral esquerdo do Moreirense a introduzir a bola na própria baliza ao tentar impedir que Licá chegasse ao esférico.

Dois pontos perdidos para o Moreirense, em grande dose por culpa própria com o adormecer depois do golo apontado. Bónus para o Estoril, que mesmo sem construir nenhum lance de perigo com cabeça, tronco e membros, conseguiu o empate.

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/18-02-2017/moreirense-estoril-1-1-cronica"

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Cauê: «Assim vamos chegar ao nosso objetivo»


Cauê, autor de um golos do Moreirense, na flash-interview da Sport TV, após o jogo contra o Sporting (2-3):

«Entrámos bem, sabendo das dificuldades de jogar contra o Sporting. Infelizmente não conseguimos segurar. A equipa fez um bom jogo e acho que assim vamos chegar ao nosso objetivo.»

«Sabíamos que podíamos surpreender o Sporting. Na segunda parte, eles entraram com mais dinâmica, fizeram mais o jogo deles e a entrada do Podence mudou o jogo e acabou por ser boa para eles.»

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/moreirense/liga/caue-assim-vamos-chegar-ao-nosso-objetivo"

Inácio explica estratégia e diz que «foi um jogo emotivo»


Augusto Inácio, treinador do Moreirense, na flash-interview da Sport TV, após a derrota frente ao Sporting (2-3):

«Foi um belo jogo para o terreno de jogo e tempo que estavam. O Moreirense deu uma excelente imagem, mas claro que o Sporting é superior e não me custa admitir. Mas, dentro daquilo que podemos fazer, demos o que tínhamos e o que não tínhamos para fazer um bom resultado.»

«Na primeira parte, a iniciativa foi do Sporting e nós tentámos e conseguimos em contragolpe. Uma delas deu golo. Na segunda parte o Sporting reagiu, como é normal. É uma grande equipa, com grandes jogadores que marcaram a diferença. Ainda tivemos o 3-3 pelo Dramé. Foi um jogo emotivo, em que a força emotiva do Sporting fez a diferença. Daqui a 15 dias vamos ter uma grande equipa.»

«A nossa estratégia foi colocar dois homens rápidos na frente para meter a bola nas costas dos centrais do Sporting para ganharmos em velocidade. Depois de termos feito o golo, a estratégia alterou-se para termos mais um homem no meio campo e ara dar mais combate ao Adrien e ao William. Até certo ponto deu certo, mas na segunda parte com a avalanche do Sporting e com a qualidade, foi-nos desgastando e equipa caiu um bocadinho. Depois, a alma fez-nos acreditar que podíamos fazer o 3-3. Foi um jogo emocionante.»

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/moreirense/augusto-inacio/inacio-explica-estrategia-e-diz-que-foi-um-jogo-emotivo"

Moreirense-Sporting, 2-3 (destaques)


FIGURA: Bas Dost
Mais um golo, o 17º na Liga, a reforçar o estatuto de melhor marcador do campeonato. O holandês está com o pé quente e revelou-se decisivo para o triunfo do Sporting em Moreira de Cónegos. Está na assistência para o primeiro golo, a sair da sua zona de conforto para servir Alan Ruiz, e apareceu no sítio certo à hora certa marcar o segundo do Sporting. Exibição esforçada e produtiva do atacante de 27 anos recrutado ao Wolfsburgo.

MOMENTO: capitão Adrien assina cambalhota (73’)
Combinação na direita entre Gelson e Schelotto, mais uma, com o defesa a ir à linha cruzar atrasado para a entrada da área. Adrien apareceu a corresponder de primeira à solicitação do italiano, atirando para o fundo das redes. Cambalhota no marcador assinada pelo capitão.

OUTROS DESTAQUES

Gelson
Uma inevitabilidade deste leão. Com o jogo encaixado e o Moreirense a chegar para suster o coletivo do Sporting, passou para as costas do miúdo a responsabilidade de desenrascar um rasgo, uma finta ou um remate de pronto. Assumiu quando tinha de assumir, fazendo combinações interessantes com Schelotto.

André Micael
Personifica na perfeição a capacidade de sofrimento da equipa de Moreira de Cónegos. Apesar de ter visto amarelo cedo, foi um autêntico muro à frente de Makaridze, com vários cortes providenciais. Ainda na primeira metade meteu a cabeça para travar uma autêntica bomba de Alan Ruiz. Ilucidativo.

Alan Ruiz
Marcou no clássico com o FC Porto, voltou a fazer o gosto ao pé assinando o segundo golo na Liga. O atacante foi dos mais inconformados da equipa de Jorge Jesus, movimentando-se muito por entre as linhas apertadas do Moreirense. Apareceu bem para finalizar.

Cauê e Fernando Alexandre
A dupla é importantíssima no meio campo do Moreirense, que por vezes se parte entre a defesa e os velocistas da frente. Mantiveram o equilíbrio da equipa de Augusto Inácio com grande afinco, emprestando a sua experiência para aguentar o Moreirense organizado face ao domínio do Sporting.

Podence
Entrou bem no jogo, numa casa que bem conhece, dando um abanão ao ataque. Está no segundo golo dos leões, numa fase em que a supremacia do Sporting não se fazia sentir no marcador.

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/12-02-2017/moreirense-sporting-2-3-destaques"