quinta-feira, 21 de junho de 2012

Jonathan Bru: “É simplesmente enorme!”


O meio campista Franco-Maurício vincula-se por dois anos com o Melbourne Victory.
Jon, parece que estás de partida para a Austrália?
Acabei de assinar por dois anos pelo Melbourne Victory. É simplesmente enorme, ufff!
Estou neste momento em França e parto para lá a 1 de Julho.

Como surgiu esta oportunidade?
Um agente contactou-me há uns dias. Ele enviou-me uma proposta. No início nem acreditei. Informei-me e avancei.

Conheces o país, o seu futebol?
Já lá estive uma vez  e mesmo não sendo um grande conhecedor do campeonato Australiano sei que é um verdadeiro país do desporto. Há uma verdadeira cultura desportiva na Austrália. Assisti a alguns vídeos, alguns resumos de jogos e também o ambiente das instalações…é extraordinário!

“Desportivamente, a minha temporada no Moreirense foi a mais bem-sucedida em Portugal mas humanamente a mais dolorosa”

E o que conheces do Melbourne Victory?
Sei que têm um grande estádio, que a cidade é magnífica e que eles jogam com as cores do Bordéus. O emblema e as camisolas são inspirados nos girondinos (Bordéus). No início, quando recebi o contrato pensei que era brincadeira! Mas não, é sério. E estou ansioso por ir…

Porque não continuaste em Portugal?
Estava em fim de contrato com o Moreirense que não foi prolongado. O que me afetou foi ter de esperar uma semana para no final ficar a saber através de uma SMS do meu agente que não iria continuar…
Desportivamente, esta foi a minha temporada mais bem-sucedida em Portugal mas humanamente a mais dolorosa...
Mas não guardo qualquer rancor. Eu não sou assim. Jamais poderei agradecer o suficiente a Portugal por me ter dado a minha oportunidade de me relançar.

Que recordações guardas de Portugal?
Conheci pessoas fantásticas. Passei bons momentos e fui muito bem recebido principalmente na Académica e na Oliveirense. Lá tive a oportunidade de ser treinado por um grande senhor como o Villas Boas, defrontei grandes jogadores atuais ou emergentes. E depois há o meu “irmão”, Djamal. Vivemos juntos praticamente durante dois anos e vai ser estranho para mim estar assim longe. Mas eu sei que estaremos sempre perto e eu desejo-lhe o melhor.


Entrevista ao blogolo traduzida por Cristina Silva