segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Casquilha com margem reduzida


Por Paulo Pinto

O semblante de Vítor Magalhães, presidente do Moreirense, ilustrava bem o seu estado de espírito. A equipa de Jorge Casquilha deixou escapar no período de compensação uma boa oportunidade para voltar a ganhar no campeonato, algo que não acontece há quase quatro meses. O último e único triunfo aconteceu no dia 26 de agosto, em casa, diante do Nacional da Madeira, por 3-1.

Desde então, os cónegos cumpriram dez partidas na Liga portuguesa sem conquistar os três pontos, com a agravante de ver alguns adversários diretos subirem na classificação.

A situação ficou agravada com o empate de ontem e também com a paciência dos adeptos, que no final assobiaram os jogadores e o técnico quando estes foram agradecer o apoio junto de uma das bancadas.

Vítor Magalhães já prometeu investir em força na reabertura do mercado, pois o plantel tem enormes carências, sobretudo para as alas e para o ataque.

Jorge Casquilha acredita que a situação poderá ser invertida após o interregno das férias natalícias e também da entrada de alguns jogadores para equilibrar o plantel. A margem de manobra do treinador é cada vez mais reduzida, mas Vítor Magalhães não é apologista de chicotadas psicológicas. O presidente continua a acreditar no treinador. Até quando? É a questão...

in "http://abola.pt/nnh/ver.aspx?id=371020"