segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Jorge Casquilha "é para ficar"

Vítor Magalhães, presidente do Moreirense, garantiu a O JOGO on line que o treinador que na época passada fez regressar o clube à I Liga vai continuar. "Aqui não se passa facilmente de bestial a besta", adiantou.
"Claro que é para ficar". Foi assim, desta forma, objetiva, que Vítor Magalhães, presidente do Moreirense, respondeu a O JOGO on line sobre a eventualidade de optar pela denominada chicotada psicológica depois da derrota este domingo, por 5-0, no Estádio do Bonfim, contra o Vitória de Setúbal.

"Não é problema do treinador. São jogos que correm mal, sofremos golos de certa forma consentidos, mas são só três pontos e é um jogo para esquecer rapidamente", adiantou Vítor Magalhães, escalarecendo que Jorge Casquilha, treinador que completou 44 anos no dia do jogo contra a equipa de José Mota, "não pode passar de bestial para besta com facilidade".

O presidente do clube de Moreira de Cónegos que tem um orçamento, para o futebol, a rondar os 2,5 milhões de euros, lembrou que "a política do clube é de compreensão", apontando o caminho a seguir a partir, já, da receção, ao Benfica, na segunda-feira da próxima semana, no fecho da 1ª volta da I Liga:
"O que é preciso fazer é corrigir o que estará menos bem e valorizar o que de muito bom temos feito. A equipa está bem, tem feito um trabalho interessante", assumindo, "obviamente", que está "no mercado" para tentar reforçar o plantel de Jorge Casquilha.

"O que é preciso fazer é corrigir o que estará menos bem e valorizar o que de muito bom temos feito. A equipa está bem, tem feito um trabalho interessante", assumindo, "obviamente", que está "no mercado" para tentar reforçar o plantel de Jorge Casquilha.