domingo, 27 de janeiro de 2013

Moreirense-P. Ferreira, 0-5 (crónica)


Sem margem para erro. Assim tinha de jogar o Moreirense para bater um Paços de Ferreira que se mostrou, uma vez mais, implacável em campo. Paulo Fonseca quis levar os três pontos para não perder o quarto lugar e «morder os calcanhares» ao Sp. Braga, que já fica apenas com mais um ponto do que os castores, e gerir o plantel para o jogo de quarta-feira da primeira mão da Taça de Portugal frente ao Benfica. E deu para tudo.

Antunes nem no banco estava, Caetano foi suplente, mas a máquina pacense estava oleada frente a um aguerrido Moreirense, que não encontra o caminho do golo. Os homens da casa entraram com iniciativa, pressão ofensiva, mas faltou sempre a finalização. Wagner, pelo corredor direito criou vários lances de perigo para a entrada de Ghilas, mas o argelino tinha pela frente uma das defesas menos batidas do campeonato e não teve a tarefa facilitada. Pelo corredor esquerdo, Tony ia sendo uma parede, fechando os espaços.

Mas enquanto o Moreirense fazia três remates, o Paços de Ferreira ia gerindo o jogo a meio campo, controlando a posse de bola e quando subiu, foi eficaz. Aos 23 minutos, quando até estava a jogar com 10 jogadores, porque Vítor estava a ser assistido, Hurtado fez o primeiro golo dos castores. Um excelente passe de Josué do lado esquerdo e o peruano a ter a frieza de contornar Ricardo Andrade para fazer o golo.

O Moreirense manteve-se fiel ao seu estilo de jogo e não baixou os braços, mas continuava a ter poucos espaços e iam sendo sobretudo as arrancadas de Wagner pela ditreita que colocavam depois a bola junto à baliza de Cássio, mas quase sempre com pouco espaço para Ghilas rematar.

Já quase a chegar ao intervalo, Vítor, o patrão do meio-campo pacense fez o segundo num livre do lado esquerdo. A bola ainda bateu em Ricardo Pessoa antes de entrar, enganando Ricardo Andrade.

O sobressalto e a consolidação

Com uma vantagem confortável para o Paços e sem nada a perder, os homens de Moreira de Cónegos entraram determinados a chegar ao golo e começaram a segunda parte num ataque avassalador. Primeiro Wagner a rematar forte para uma defesa segura de Cássio. Depois Rafael Lopes a cabecear ao lado, mas muito perto da baliza pacense.

Mas se o ataque moreirense estava forte, a defes voltava a apresentar falhas. Aos 57 minutos, uma distração de Ricardo Pessoa permitiu a Josué, sim, outra vez ele, colocar em Hurtado, que, de cabeça, fez o terceiro golo do Paços e o seu segundo golo da tarde, sossegando um, na altura, pouco tranquilo Paulo Fonseca.

Uma vez mais o Moreirense não desistiu do ataque, mas uma vez mais foi penalizado por erros defensivos. Ricardo Andrade saiu da área para tirar uma bola e Luiz Carlos, apanhando a bola a meio-campo, não se fez rogado e fez um chapéu que só parou dentro da baliza.

Já aos 89 minutos, Vítor ainda ampliou a vantagem para 5-0 após cruzamento de Manuel José da direita.

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/p-ferreira/moreirense-pacos-de-ferreira-i-liga/1413992-1460.html"