quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

«Não tenho medo do último lugar» – Augusto Inácio

Augusto Inácio, novo treinador do Moreirense, foi apresentado oficialmente no final do treino, tecendo as primeiras considerações ao serviço dos cónegos. 

Para o técnico é, obviamente, possível segurar o clube de Moreira de Cónegos na Liga: «Isto não é um projeto. Acho mais uma tentativa de salvação. Se não acreditasse não estava aqui a fazer nada. Acho que é possível. É difícil, porque temos que fazer uma excelente segunda volta. O Moreirense teve alguma infelicidade em alguns jogos e com lesões também. Deixo aqui um abraço ao Jorge Casquilha, que tem grande valor e fez excelente trabalho, mas faltou-lhe alguma sorte.»

Segundo Augusto Inácio, a pressão é elevada, mas assegura não ter qualquer receio: «Cada jogo é uma final. Precisamos de duas vitórias seguidas para embalar a equipa. Temos pressão acrescida porque estamos no último lugar, mas não tenho medo do último lugar. Precisamos de calçar umas barbatanas e umas boias para ver se respiramos um bocadinho melhor.»

Quanto aos pontos necessários para atingir a permanência, Augusto Inácio acredita que 28 poderá ser o número necessário: «Falei com o presidente sobre isso. É uma confusão muito grande. Jogo a jogo é um chavão, mas é verdade, porque cada jogo para nós é uma final. Cada jogo que perdemos é menos tempo de recuperação. Cada vitória é uma renovação de esperança. Acho que 28 pontos devem ser suficientes e por aí se vê o que é preciso nadar para chegar à praia.»

No que diz respeito a reforços, Inácio confia nos jogadores que tem ao seu dispor: «Sabia os jogadores que estavam aqui. Ainda pode haver alguma novidade, se forem duas tanto melhor. Vamos ver. Os grandes reforços serão os jogadores que estão de fora. Vamos tentar recuperá-los. São jogadores muito importantes, mas há outros. É assim que se constroem grupos. Os jogadores também precisam de ter a confiança de que podemos ficar. No entanto o grande catalisador são os jogos e as vitórias.»

Perspetivando a deslocação ao terreno do Nacional da Madeira, Augusto Inácio sublinhou a necessidade de pontuar: «É importante vencer na Madeira. Mas o Moreirense venceu na primeira volta ao Nacional e depois nunca mais ganhou. Não me importo de não vencer este e vencer muitos mais jogos depois. Sabemos que o Nacional é uma boa equipa e está moralizada depois de ter vencido o V. Setúbal. Mas não interessa o nome do adversário. Seja Nacional, FC Porto ou o Benfica precisamos de pontuar, de vencer. Todos os encontros são importantes.»

Augusto Inácio (foto ASF)

http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=379811