domingo, 3 de fevereiro de 2013

Nacional-Moreirense, 1-2 (destaques)


A figura: Ghilas.
O avançado franco-argelino, de 22 anos, é, de facto, o craque da equipa. Inventou, sozinho, o primeiro golo, da sua autoria, da mesma forma como descobriu Renatinho para o segundo. Convive bem com a solidão no eixo do ataque minhoto e, mesmo assim, raramente perde um duelo. Tecnicamente muito evoluído e com faro de golo tem lugar em quase todos os planteis da Liga.

O momento: Calcanhar de Renatinho.
O segundo golo do Moreirense, com a assinatura do calcanhar de Renatinho foi, de longe, o melhor momento de um jogo disputado, em grande parte, na estratosfera física. Toda a jogada de Ghilas é fantástica e, por isso, merecia uma finalização à altura. Mesmo tendo em conta a dimensão real dos protagonistas, acima disto não há mais nada.

OUTROS DESTAQUES:

Diego Barcelos.
É o único jogador do meio campo madeirense que pensa o jogo de forma diferente (sempre de cabeça levantada) que trata a bola com carinho. Assume o papel de maestro da orquestra, emprestando velocidade e técnica ao jogo, e ainda tem tempo para aparecer em zonas de finalização.

Ricardo Andrade
Apesar da primeira parte tranquila, o guarda-redes brasileiro do Moreirense não se deixou afectar pelo frio. Na segunda parte, quando a equipa mais precisava dele, disse presente com um conjunto de defesas que seguraram os três pontos. Nos minutos finais de maior sufoco, parou várias vezes o jogo permitindo aos seus colegas momentos para respirar.

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/nacional/nacional-moreirense-liga-resultado-final-resultados-destaques/1416224-1465.html"