terça-feira, 19 de março de 2013

Equipa respira uma volta depois

Augusto Inácio (foto ASF)
Os números não enganam: Inácio estreou-se à 17.ª jornada e sob a sua liderança o Moreirense fez sete jogos, colecionou três vitórias, três empates e sofreu só uma derrota; pontos somados foram 12, mais quatro que os obtidos na era de Casquilha, que se prolongou por 16 jornadas; golos sofridos, só quatro; melhor de tudo, está dois lugares acima da linha de água e tem dois pontos a mais que o penúltimo classificado.

Impressionante a capacidade de reação da equipa de Moreira de Cónegos, que precisou de uma volta completa para abandonar a cave classificativa. Ou já se esqueceram que os axadrezados caíram no 15.º lugar na 9.ª jornada, depois viveram largo período na condição de lanterna vermelha e só anteontem voltaram a pisar terreno seguro?
O fôlego proporcionado pelo triunfo em Vila do Conde é inquestionável: além de excelente prova de vida, que serviu para desfazer dúvidas eventualmente geradas pelo facto de não ter vencido os quatro jogos anteriores, o final feliz na visita ao Rio Ave permite ao Moreirense abordar a fase derradeira do campeonato com a autoestima em níveis infinitamente mais recomendáveis.