terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Moreirense vs Porto B - Análise

Sem dúvida que o Porto B foi a melhor equipa que passou por Moreira, ganhou o jogo, mas podia ter perdido ou até dado empate. O jogo foi sempre muito equilibrado com oportunidades nas duas balizas, e alguns lances de bom futebol. Com o relvado muito pesado as duas equipa jogaram um futebol positivo de bola chão e com rapidez. O Moreirense começou melhor criando duas boas oportunidades para marcar, depois o Porto B equilibrou, durante uns momentos dominou e foi melhor, mas não é possível dizer quem esteve por cima durante o jogo porque foi tudo muito equilibrado. Na nossa opinião defrontaram-se as duas melhores equipas do campeonato, e chocaram entre si, acabou por ganhar aquele que teve mais sorte no jogo. Durante a primeira parte não houveram golos, devido a falta de pontaria na finalização por parte das duas equipas, o jogo estava entretido para quem gostava de ver futebol. Houve no meio campo um choque do lutadores, Pedro Moreira e Herrera dum lado, Filipe Melo e André Simões do outro, estes jogadores deram uma intensidade muito grande no jogo ao meio-campo, havia muitas recuperações de bola, e estava tornar-se difícil criar espaços a partir do meio-campo, por isso as equipas compreensivelmente optaram por jogar mais exteriormente, pelas linhas. Wagner, do lado do Moreirense, está em grande forma, ia-se evidenciando, muito rápido e desiquilibrador as melhores oportunidades nasceram dos pés dele.

Na segunda parte surgiu o verdadeiro espectáculo, os golos. O do Moreirense marcou o primeiro com Rui Miguel a aproveitar um erro clamoroso dum defesa portista, correu sozinho assistiu algo defeituosamente Pires que não chega à bola, mas esta sobra para o oportuníssimo Wagner que encosta para a baliza fazendo o primeiro da partida. O Porto B com o golo sofrido foi à procura do empate, e isso deu ao Moreirense a possibilidade por diversas vezes de fazer o segundo golo e acabar com o jogo. Uma dessas oportunidades surgiu dos pés de Diogo Cunha que sozinho rematou à figura de Kadu, podia ter feito bem melhor nesse lance. Depois o Porto B empatou através de um livre direto marcado de forma exemplar. Pedia-se ao Moreirense a partir daí que assumisse mais o jogo, corresse atrás do resultado e infelizmente isso não aconteceu. A melhor oportunidade aconteceu num penalty em que Pires acertou no sítio mais difícil a barra. Pouco depois o adversário através de uma bola parada, mais uma vez, fez o golo. Um lance infantil da equipa que pode querer dizer duas coisa, ou nervosismo ou desconcentração, se for desconcentração é um caso algo grave que tem de ser resolvido. Sem concentração não se conseguem resultados e isso está à vista. A partir daí o Moreirense no pouco tempo que faltava para o fim do encontro foi para cima do adversário, e podia mesmo ter empatado o jogo não fosse o cruzamento de Elizio ter saído algo puxado e não ter permitido a emenda de nenhum dos colegas.



Com este resultado o Moreirense fica muito pressionado em caso de vitória o Penafiel iguala-nos na frente. É preciso arregaçar as mangas, deixar de lado vaidosismos e correr atrás dum sonho, aquele que nos move a todos os jogos ao estádio, à chuva, ao frio a dias e horas impróprias, tudo isto valerá a pena se no fim estivermos na primeira liga.