terça-feira, 26 de agosto de 2014

Moreirense vs SC Braga - Análise

Bom jogo no regresso dos jogos de primeira a Moreira. Este jogo começa bem antes dele mesmo começar, a “guerra” de palavras entre os treinadores apimentou bem mais um jogo entre clubes relativamente vizinhos e com boas relações. Nesse campo o nosso treinador Miguel Leal levou a melhor, disse uma coisa e fez outra completamente diferente. Ao contrário do que ele disse a equipa entrou dominadora, a praticar bom futebol e sem deixar o Braga respirar, principalmente nos primeiros 20/25 minutos em que o Moreirense foi muito melhor que o adversário. Só a partir daí os de Braga conseguiram ter bola, crescer mas sem criar muito perigo. O jogo foi bem intenso, as duas equipas queriam ganhar, lutaram para ganhar, e bom ambiente nas bancadas também. João Pedro por duas ocasiões criou bastante perigo, Tiba e Eder para os visitantes também criaram perigo para as redes de Marafona. Destaque para as exibições de André Simões e Filipe Melo, o primeiro luta, recupera, sai a jogar e tem muito futebol nos pés. Filipe Melo é um muro à frente da defesa, está um jogador feito, dois jogos sem amarelos para quem era muito indisciplinado nesse aspecto é um factor a ter em consideração. Um jogador que merece algum destaque é Alex, o avançado embora não pareça fez um bom jogo, muito bom a jogar de costas, bom tecnicamente e vem facilmente atrás buscar o jogo.

A segunda parte começou como a primeira, o Moreirense por cima, com mais bola, criando mais perigo e mais conciso com a bola nos pés. O Braga mais uma vez não estava a consegui sair a jogar com a bola no chão, Ruben Micael não conseguia pegar na bola, foi bom a atirar-se para o chão e reclamar, pouco mais. Só através de bola parada o Braga criva perigo, atirando uma bola à barra num livre de longe. Claramente o Moreirense ganhava o jogo no meio campo, com os dois jogadores já referidos em destaque, e com João Pedro um perigo à solta. Gerso por troca com Arsénio não trouxe nada de novo ao jogo e não mexeu como era pretendido. O próprio Arsénio não teve velocidade para concretizar em golo o grande passe de Alex que o isolou, mas deixou-se antecipar por um defesa contrário ganhando apenas um canto. É com pena que continuamos a ver no nosso futebol, principalmente por alguns árbitros, a ideia que ao mínimo contacto físico é falta. Os protagonistas não podem ser os árbitros, muitas vezes o são pela negativa, o futebol é um desporto de contacto não se pode marcar falta por tudo e por nada. É triste ver um jogo de futebol acabar com dezenas de faltas quando muitas vezes nem metade delas faltas eram.

Estamos num bom caminho, já temos 4 pontos em dois jogos muito complicados, seguem-se mais três, vamos ver no que vai dar, mas a continuar com esta atitude podemos ir longe e garantir a manutenção cedo. Temos de provar dentro do campo que viemos para ficar e calar muita gente que continua a subestimar-nos, é por esses que vamos conseguir a manutenção.