domingo, 14 de setembro de 2014

Moreirense vs Rio Ave - Análise

Após uma semana de paragem para compromissos de selecções, o futebol voltou, com mais um ponto conquistado. O Moreirense defrontou uma equipa já rotinada com muitos mais jogos nas pernas, já com jogos decisivos disputados, mas em campo isso não foi notório. A primeira parte foi a mais equilibrada, o Moreirense entrou mais na espectativa e o Rio Ave durante os primeiros 15 minutos foi melhor, depois o Moreirense ganhou confiança melhorou colectivamente e equilibrou as estatísticas. Num jogo com poucas ocasiões o Rio Ave aproveitou um livre lateral para inaugurar o marcador no único remate que fez à baliza do Moreirense, aproveitando a desconcentração e alguma confusão na área. Depois do golo os homens da casa desnortearam-se e desequilibraram-se e o Rio Ave criou mais perigo, passado esse período, o Moreirense foi para cima do adversário e foi a única equipa a procurar o golo, sem conseguir criar muito perigo o Moreirense foi mais rápido mais espevitado na procura do golo, o que não conseguiu no primeiro tempo.

A segunda parte foi completamente diferente, o Rio Ave não apareceu e o Moreirense foi o único a tentar ganhar o jogo. Logo no terceiro minuto Vítor Gomes, marcou de fora da área e de pé esquerdo, tirando muito bem Tarantini do caminho e rematando sem marcação para o golo. Depois do empate o Moreirense continuou a carregar, sempre com o sector intermédio e ofensivo bem interligados com velocidade mas sem poder de fogo na finalização. Ficou um penalty clamoroso por assinalar por falta sobre Alex, Prince deve ter ficado mal tratado depois da finta, e rasteirou por completo o avançado do Moreirense, todo o estádio viu menos os árbitros, ou então viram e não quiseram marcar que é o mais provável. Sem desanimar o Moreirense continuar a ir para cima do Rio Ave e Gerso numa boa jogada individual, assiste João Pedro que tira muito bem um adversário do caminho mas, na hora de fazer golo pega mal na bola e remata com pouca força e a figura de Cassio. Mais à frente um ramate cruzado em que nem Cardozo, já em campo, nem Gerson chegaram a tempo para fazer golo. Por último foi Filipe Melo que rematou de longe, já em cima do minuto 90, a bola é rechaçada por um adversário, ganha altura, desvia-se do guarda-redes mas bate na barra. O Rio Ave nem em lances de bola parada criou perigo, ao contrario do que aconteceu na primeira parte, e foi um adversário quase insistente em termos ofensivos, por isso este resultado fica com um sabor a derrota, porque sabemos que podíamos devíamos ter ganho este jogo.


Estamos no bom caminho, o “nosso” campeonato ainda nem sequer começou e já estamos com cinco pontos, cenário que à partida não era imaginado pela maioria, se mantivermos os pés bem assentes no chão e quando começarem os jogos com as equipas do nosso nível onde poderemos chegar?