sábado, 22 de novembro de 2014

Benfica-Moreirense, 4-1 (crónica)



Noite perfeita para o Benfica a abrir caminho para os oitavos de final em ritmo de passeio com uma goleada ao Moreirense (4-1), num jogo que também serviu para preparar a difícil visita a São Petersburgo marcada para a próxima quarta-feira. Uma noite mágica de Salvio que, conjugado com a eficácia de Jonas, demoliu a defesa da equipa de Moreira de Cónegos em três tempos antes de deixar o relvado ao som de uma estrondosa ovação.

Confira a FICHA DO JOGO

O Benfica entrou praticamente a vencer com dois golos nos primeiros dois remates que fez logo a abrir o jogo. Jorge Jesus deixou Talisca no banco, mas apresentou um onze inclinado para a frente, com Salvio e Gaitán bem abertos nas alas, Deley e Jonas ao centro e Enzo e Cristante, mais recuados, a preencher bem a zona central.

Ainda havia adeptos à procura de lugar nas bancadas quando Salvio, lançado por Luisão, abriu caminho para o primeiro golo da noite, aos três minutos, com um passe atrasado para Jonas atirar, de primeira, ao ângulo. Ao segundo ataque do Benfica, agora pela esquerda, segundo golo. Desta vez foi Gaitán a imprimir velocidade, antes de combinar com Derley, que devolveu de calcanhar para o argentino servir Jonas que, aos sete minutos, já tinha dois na sua conta. Tudo muito fácil, com a velocidade e eficácia a dinamitarem a defesa de Miguel Leal.

Cada vez que o Benfica subia, a defesa do Moreirense tremia por todos os lados, com Salvio a provocar constantes estragos no lado direito. Com mais uma arrancada do argentino, Derley ficou a centímetros do terceiro que estava reservado para Salvio depois de mais uma jogada brilhante do número 18. Mais um combinação com Derley para depois entrar na área, descer até à linha de fundo e assistir Jonas que, desta vez, se fez rogado, e devolveu o gesto ao argentino que assinou o terceiro. Em pouco mais de vinte minutos o Benfica parecia ter o jogo resolvido. Perfeito, tendo em conta que estamos em semana de Champions.

Mas ainda havia jogo, pelo menos até ao intervalo, com o Moreirense a reentrar na partida num lance de bola parada. Livre de João Pedro para Ramón Cardozo escapar entre os centrais e desviar de cabeça. Nunca um golo de Cardozo foi recebido com tanta frieza na Luz. A verdade é que, ainda com quinze minutos para se jogar na primeira parte, o jogo podia voltar a ficar em aberto se a equipa de Miguel Leal reduzisse para a diferença mínima. O Benfica relaxou, levantou o pé, cedeu espaço e cedeu a bola, permitindo que o Moreirense subisse finalmente no terreno, para depois responder em rápidos contra-ataques.

O jogo podia ter ficado definitivamente resolvido até ao intervalo, tais eram as facilidades que o Moreirense concedia na zona central, com Salvio endiabrado, a explorar todos os espaços livres.

O Moreirense abriu as suas linhas para a segunda parte, num último esforço para entrar no jogo e Arsénio esteve perto de marcar, logo a abrir, obrigando Júlio César a defesa apertada. Mas, logo a seguir, Salvio [que noite!] resolveu o jogo com mais uma espetacular arrancada, para combinar com Derley [novo passe de calcanhar] antes de marcar o segundo da noite.

O jogo acabava definitivamente aqui. Jorge Jesus já tinha começado a gestão ao intervalo, abdicando de Gaitán para lançar o regressado Ola John. Depois saíam também Salvio e Enzo Pérez para as entradas de Talisca e Samaris.

O Moreirense nunca baixou os braços, lutou até ao fim, mas tinha agora pela frente um Benfica confiante que geria sem correr, que ocupava bem os espaços e que esteve sempre mais perto do quinto golo. A paragem na Liga, como disse Jorge Jesus, fez definitivamente bem bem ao Benfica.

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/taca-de-portugal-benfica-moreirense-salvio-topnews/5471037b0cf22d3cc0d3c615.html"