sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

MOREIRENSE MOSTRA INDIGNAÇÃO COM NOTA A COSME MACHADO NO DÉRBIE COM O VITÓRIA: «É INACEITÁVEL»


A nota atribuída pelo observador José Ribeiro ao trabalho do árbitro Cosme Machado no dérbie Vitória-Moreirense levou o clube de Moreira de Cónegos a promover uma conferência de imprensa.

O director-desportivo Marco Couto, que contou ao seu lado com o vice-presidente Joaquim Pereira e com o treinador Miguel Leal, mostrou um vídeo aos jornalistas com os casos polémicos do jogo com o Vitória. Mas, fez questão de colocar o Vitória à parte desta denúncia, bem como o árbitro Cosme Machado, focando a intervenção na nota atribuída pelo observador. O árbitro de Braga teve um 3.5, nota considerada muito boa, enquanto os seus auxiliares tiveram 3.4.

No vídeo do Moreirense foram assinalados cinco casos. O primeiro, que decorreu aos 19 minutos, prende-se com um fora de jogo mal assinalado a Arsénio, que se isolava perante Assis. Depois, foi focado o penaltie de Marcelo Oliveira sobre Bernard, que os ‘cónegos’ garantem, ter sido mal assinalado e uma pisadela de Bouba Saré sobre Cardozo, aos 51 minutos. “Vê-se que não há intenção do jogador do Vitória, mas os árbitros avisam sempre que neste tipo de lances mostra-se o vermelho. E o árbitro estava bem posicionado. Não deu lei da vantagem, não viu nada”, disse Marco Couto.
Nas mesmas imagens, o Moreirense prova que José Eiras assinalou erradamente fora de jogo a Gerso no lance que daria o 2-2, porque Hernâni estava a colocar o avançado em jogo. “O auxiliar, o senhor Nuno Eiras, estava muito bem posicionado e não conseguiu vislumbrar que era um lance legal”.

O Moreirense mostrou a mão de Elízio, num penaltie por marcar a favor do Vitória aos 27 minutos, mas contrapôs com o lance do segundo golo do Vitória em que Bernard também domina a bola com o braço antes de Jonatan Álvez marcar. “A bola bate efectivamente na mão do Elízio, mas percebe-se que ele pensava que alguém ia jogar de cabeça. No golo do Vitória, reparem onde está o senhor Cosme Machado. Se alguém tem de ver o lance é ele. O jogador do Vitória beneficiou do uso do braço, o árbitro não marcou nada”.

Por tudo isto, Marco Couto considera que a actuação de Cosme Machado “foi um trabalho fraco, com muitos erros graves. Não é norma o Moreirense queixar-se da arbitragem, mas depois do que toda a gente viu nós ficamos estupefactos. Estamos a apresentar isto porque tivemos conhecimento ontem que um senhor que está sentado num camarote, muito bem instalado, que tem ferramentas que o podem ajudar, como ecrãs para ver repetições, consegue atribuir a um mau desempenho - não estou a falar do Cosme Machado que pode ter um dia mau  - uma nota de 3.5. No nosso ponto de vista isto não é um contributo para que a arbitragem melhore, antes pelo contrário. O que estarão a pensar os outros árbitros, que podem fazer um bom jogo mas depois quem os observa não vê da mesma maneira. Isto para nós é inaceitável”.

“Somos um clube pequeno mas queremos sempre contribuir para a melhoria do futebol, não é só jogadores, treinadores e dirigentes. Quem faz a carreira dos árbitros ainda é mais importante. A nossa intenção é contribuir para que haja mais responsabilidade para o que se está a fazer. Logicamente que nem todos os observadores e árbitros são iguais. A classe dos árbitros está como está por causa disto. Não aceitamos que este tipo de pessoas façam estes trabalhos. De facto foi um trabalho fraco do senhor Cosme Machado, admitimos nós que numa noite feliz, mas ter uma nota de 3.5. Os auxiliares tiveram 3.4, com lances em que se perceberam bem os lances”, acrescentou.

Perante a questão sobre o que poderá estar por trás desta situação, Marco Couto disse: “Não quero pensar que nos prejudicaram a nós e beneficiaram o Vitória. Nada é contra o Vitória, não estamos a realçar o mau desempenho do Cosme Machado, mas foi de facto um mau desempenho. Foi opinião unânime, elementos do próprio Vitória, ainda no Estádio, sem recurso a imagens, reconheceram que o trabalho do árbitro não foi bom. O observador que está instalado no camarote, sem qualquer tipo de pressão, com meios ao seu dispor, e mesmo assim dar esta pontuação. Ou estava atento a outras coisas que não o jogo ou é mesmo incompetência. Vamos contribuir sempre para que o futebol seja melhor. Quem os sobe e desce tem de ser competente e se de facto um trabalho não é bom tem de ser penalizado, se é bom tem de ser premiado”.

in "http://www.guimaraesdigital.com/noticias/58003/moreirense-mostra-indignacao-com-nota-a-cosme-machado-no-derbie-com-o-vitoria-e-inaceitavel"