segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Moreirense–P. Ferreira, 2-0 (destaques)

André Simões abriu caminho ao triunfo



A figura: André Simões
Mais um jogo de extrema qualidade do médio do Moreirense, que desta vez ganha expressão com o tento apontado e que abriu caminho ao triunfo dos Cónegos. Foi um dos tampões utilizados por Miguel Leal para travar o jogo pacense, e ao mesmo tempo uma arma importante na construção de lances ofensivos por parte da equipa do Moreirense. No frente a frente com Defendi não tremeu e com muita tranquilidade bateu o guarda-redes pacense.
 
O momento: vantagem antes do descanso
Pouco depois de fazer uma intervenção assombrosa, o guarda-redes Rafael Defendi borrou a pintura. Saiu-se aos pés de Arsénio, chegou atrasado e acabou por derrubar o atacante do Moreirense. Na conversão do castigo máximo André Simões não desperdiçou. Remate seco para o seu lado esquerdo quando o guardião do Paços já caía para o lado direito.  
 
Negativo: Sérgio Oliveira
Esteve igual a si próprio com a bola nos pés: criterioso e com a classe que se lhe reconhece no miolo. Pecou ao cair demasiadas vezes no erro que o Moreirense fazia por provocar, tal como aconteceu no lance que deu origem à grande penalidade. Viu um amarelo escusado, que o deixa fora do próximo encontro.
 
OUTROS DESTAQUES:
 
Urreta
Emprestou a sua velocidade ao jogo do Paços e apesar de não ter uma daquelas tardes inspiradas foi dos elementos que mais se evidenciou na equipa do Paços. Essencialmente pelo medo que não demonstrou em assumir o jogo e partir para cima do adversário.
 
Paulinho
Jogo regular, mais um, do lateral direito do Moreirense. Quase não se dá por ele, na medida em que cumpre com as suas funções com discrição e competência. Subiu ao ataque pela certa, sem correr riscos, e quase sempre com perigo.
 
Battaglia
Precisou de pouco mais de oito minutos para deixar a sua marca no encontro. Lançado por Miguel Leal no decorrer do segundo tempo, aproveitou uma das poucas oportunidades que teve para se mostrar. Trabalhou bem no interior da área do Paços de Ferreira e carimbou o triunfo com o primeiro golo apontado ao serviço do Moreirense.
 
Arsénio
Prestação discreta, sem grandes rasgos de genialidade, mas com uma intervenção preponderante no jogo. Sofreu a grande penalidade que deu origem ao primeiro golo do Moreirense e fez a assistência para Battaglia no segundo golo. Um dos principais obreiros do triunfo dos Cónegos.