sábado, 31 de janeiro de 2015

Sp. Braga-Moreirense, 1-0 (crónica)



A jornada começou em jeito de serenata à chuva no Minho, com um dérbi entre Sp. Braga e Moreirense. Os pupilos de Sérgio Conceição regressaram aos triunfos (1-0) depois de dois resultados menos positivos, não se livrando, contudo, de apanhar um susto diante do tranquilo e organizado Moreirense, que falhou uma grande penalidade antes do golo que fez o resultado do jogo.

Confira a FICHA DO JOGO
 
O autor do golo do triunfo saltou do banco de suplentes para apontar o único tento do encontro. Pedro Santos entrou no decorrer do segundo tempo para carimbar, a quinze minutos do apito final, a conquista dos três pontos por parte dos Guerreiros.
 
Arsenalistas e cónegos apresentaram-se com baixas de vulto no eixo da defesa. Sérgio Conceição viu-se privado de Santos (lesionado) e André Pinto (castigado). Desfez-se a dupla de centrais habitual e estreou-se Pedro Monteiro com a camisola dos Guerreiros. O defesa recrutado ao Freamunde fez dupla com Sasso.
 
Por seu turno, Miguel Leal não pôde contar com o brasileiro Marcelo Oliveira, principal referência defensiva do conjunto de Moreira de Cónegos. A contas com uma lesão muscular na coxa esquerda, e castigado ao mesmo tempo, Marcelo Oliveira deu o seu lugar ao capitão Anilton.
 
Erro de Anílton e bolas na mão
 
Antes do encontro, o técnico do Moreirense referiu que seria «engraçado» ver defrontarem-se duas equipas com um estilo de jogo parecido e que privilegia o contra-ataque. As contas não foram bem essas e o Sp. Braga entrou forte no encontro, a dominar em toda a linha e sem deixar fôlego ao Moreirense para esboçar uma reação.
 
Sentido único imposto pelos pupilos de Conceição, que esmagaram em termos de posse de bola e de ocupação de espaços. Basta dizer que o meio campo defensivo do Sp. Braga quase foi desnecessário nos primeiros quarenta e cinco minutos.
 
Contudo, o domínio não caminhou de mãos dadas com o perigo e a organização do Moreirense ia dando para segurar as suas redes invioláveis. Quase que abdicou de atacar, fê-lo apenas de forma esporádica e quase com o intuito único de ganhar um lance perigoso do bola parada.
 
Acabou por ser num erro crasso do Moreirense que o Sp. Braga conseguiu o primeiro aviso real à baliza de Marafona. Um erro crasso de Anilton a deixar Ruben Micael em posição privilegiada para abrir o ativo. O madeirense deslumbrou-se com a oferta e atirou ao ferro.
 
Para além disso, dois lances daqueles que envolvem bola e mão no interior da área, um para cada lado, marcaram a primeira parte. Primeiro foi Danielson a esbarrar com a bola em Baiano pedindo penálti, depois foi a vez do Sp. Braga a queixar-se de um lance idêntico.
 
Moreirense falha penálti e Conceição tira triunfo do banco
 
No abrir do segundo tempo a história foi diferente. João Pedro, um dos emprestados pelo Sp. Braga ao Moreirense, bateu um pontapé de canto na esquerda e viu Baiano cortar o lance com o braço. Desta vez Artur Soares Dias foi perentório a apontar para a marca dos onze metros, mas André Simões não foi capaz de ultrapassar o muro com o nome Matheus que estava na baliza.
 
Perigo do Moreirense logo nos primeiros suspiros depois do descanso e um sério aviso à equipa da casa. Os cónegos entraram mais espevitados, o jogo estava-lhes de feição, agora sim, partido, com o Sp. Braga algo tremido, e com espaço para toada e resposta.
 
Continuava a ser o Sp. Braga a assumir as despesas do jogo, mas com o Moreirense a ter mais profundidade ofensiva. Resultado: Miguel Leal manietou o Sp. Braga, que não encontrava soluções para criar perigo, e os axadrezados tiver um maior ascendente nesta fase do encontro. Valeu Matheus entre os postes, que chegou a insurgir-se com os colegas devido à passividade mostrada.
 
Sérgio Conceição tirou Pedro Santos do banco de suplentes para resolver o encontro. Apesar da altura, ou melhor, da falta dela, o extremo conseguiu saltar mais alto do que toda a gente no interior da área e cabecear de forma subtil para o fundo das redes. Um pouco contra a corrente do jogo, é certo, mas suficiente para o Sp. Braga regressar aos triunfos.
 
Os Guerreiros cumpriram com a sua obrigação, sem deslumbrar, e regressaram aos triunfos depois da derrota no Bessa e do empate com o FC Porto. Aproxima-se, à condição, do quarto lugar. O Moreirense averbou a terceira derrota consecutiva. Faltou discernimento para conseguir mais no segundo tempo. O penálti falhado por André Simões é exemplo disso mesmo.

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/pedro-santos/sp-braga-moreirense-1-0-cronica"