quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

«Meio-campo sofreu um ataque cardíaco, mas vamos sobreviver» - Miguel Leal



O treinador do Moreirense, Miguel Leal, admitiu que as saídas de Vítor Gomes e Filipe Melo e o castigo de André Simões constituem um duro golpe, numa altura em que a equipa prepara a receção ao FC Porto.

Ainda assim, o técnico dos cónegos assegura que a equipa tem argumentos suficientes para continuar a caminhada que tem vindo a fazer e assegurar a permanência o mais rapidamente possível.

«Esta equipa, especialmente no seu meio-campo, o coração da equipa, sofreu um ataque cardíaco. Esta é uma situação nova, vamos ter de meter um pacemaker. Vamos sofrer um pouco, mas vamos sobreviver. Sempre resolvi os problemas por onde passei, vão jogar outros e, para mim, esses são agora os melhores. Tenho aqui atletas que também podem corresponder como os anteriores», afirmou Miguel Leal, admitindo, de seguida, que as saídas no plantel são fruto da boa época da equipa.

«Reconheço que também fui contratado para valorizar ativos, e, com esta primeira volta acima das expectativas, parte do meu trabalho já está feita», argumentou.

Miguel Leal espera um jogo de elevada dificuldade diante do FC Porto, uma equipa «motivada e porventura no seu momento mais forte», mas garante que os seus jogadores estão a postos para este desafio.

«O adversário está motivado e porventura no seu momento mais forte, mas estamos preparados para este jogo. Estamos perto da manutenção e queremos alcançá-la o mais depressa possível», comentou o treinador.