terça-feira, 28 de abril de 2015

Moreirense-Sporting, 1-4 (crónica)

Perfume de café colombiano num belo jogo de futebol


Que bela forma de encerrar a jornada. Se um encontro à segunda-feira à noite, com duas equipas que já quase só estão a cumprir calendário, poderia não ser convidativo, a verdade é que acabou por ser um jogo bem disputado, com golos com fartura, nota artística elevada e um protagonista: depois de quase dois meses longe da titularidade, Montero espalhou o perfume do café pelo relvado de Moreira de Cónegos numa exibição de gala. 
                                                                                                                                                                        
O Moreirense entrou em campo sem o peso de ter que lutar pela manutenção, que já está conseguida, e decido a mostrar ao adversário que não há medo pelas bandas de Moreira de Cónegos. É mesmo da equipa da casa o primeiro sinal de perigo, ainda nem estava cumprido o primeiro minuto de jogo. Após passe de Danielson, João Pedro trabalhou na área e acabou por rematar ao lado da baliza de Rui Patrício. 
  
Mas a resposta do Sporting não se fez esperar. Logo no minuto seguinte, Montero apareceu na esquerda, rematou, e Mané apareceu junto à baliza e só teve que empurrar. Os jogadores do Moreirense ficaram a pedir fora de jogo ao jogador leonino, mas o árbitro não assinalou. Só as imagens televisivas poderão esclarecer a dúvida que ficou no estádio. 
  
O golo fez tremer as bases da defesa do Moreirense e os jogadores do Sporting foram aproveitando para aparecer na área adversária com perigo. Mas, passados alguns minutos, a equipa da casa recompôs-se e o setor mais recuado ganhou consistência necessária para reduzir um pouco as investidas do Sporting. 
  
Sem grande hipótese de chegar junto da baliza adversária de outra forma, já que o Sporting estava forte a meio campo e a defesa não era muito fácil de ultrapassar, o Moreirense apostava em cruzamentos e passes longos cirúrgicos para a área, sobretudo para Leandro e João Pedro - e que grande jogo fez o capitão do Moreirense. 
  
A ganhar por 1-0 desde cedo, o Sporting nem por isso baixou os braços e, depois de um período de menor intensidade atacante, voltou a pressionar junto à baliza de Marafona e os efeitos não se fizeram esperar. 
  
Aos 34 minutos, um cruzamento de Carlos Mané para um remate de Nani, que Danielson cortou ,Tanaka ainda tentou o remate, mas a bola sobrou para Montero que fez o 2-0. O avançado colombiano estava de costas para a baliza, recebeu com o pé esquerdo e rematou com o direito de pontapé de bicicleta. 
  
Ainda os adeptos do Sporting festejavam o golo e já estava outro a chegar. Após um cruzamento de Nani, Montero (sim, outra vez ele) recebeu na área e deixou para Tanaka, que rematou perante a passividade da defesa do Moreirense. 

Mas ainda na primeira parte, o Moreirense iria chegar ao golo. Após um livre batido por João Pedro, a bola ficou a pingar na área, William Carvalho bateu um balão para o ar e a bola a cair junto a Leandro que, num remate à meia volta junto a Patrício, fez o 3-1. 
  
Logo a seguir, o próprio João Pedro viria a colocar a bola na baliza, mas o árbitro tinha assinalado fora de jogo a Lucas Souza e o golo não valeu. 
  
A segunda parte começou com uma toada semelhante à da primeira parte. O Moreirense começou logo a pressionar junto à baliza de Rui Patrício, com João Pedro a ser o homem dos Cónegos que mais trabalho deu à defesa leonina. Por uma mão cheia de vezes Ewerton resolveu situações potencialmente complicadas,  e Arsénio ainda atirou uma bomba que passou ligeiramente por cima da baliza de Patrício e um cabeceamento também demasiado alto. 
  
Mas Marafona também não se podia queixar de não ter trabalho. Aos 53 minutos, uma cabeçada de Nani obrigou o guardião do Moreirense a uma defesa apertada em cima da linha. Mas o jogo indicava que o golo era só uma questão de tempo. 
  
Montero não parava de aparecer com perigo na área, um livre de Nani obrigou novamente Marafona a mostrar o que vale até que, aos 85 minutos, após ruzamento de Diego Capel, Montero (sim, é mesmo o colombiano de novo), fez o quarto do Sporting. 
  
Os minutos finais do encontro pautaram-se pela vontade de Montero assinalar o hat-trick, mas o tempo não chegou. 

Com este resultado, os leões ficam com 12 pontos de vantagem sobre o Sp. Braga e estão a 6 do FC Porto, com quatro jornadas por disputar.