domingo, 24 de maio de 2015

Arouca-Moreirense, 1-2 (crónica)


O Arouca assegurou a permanência, mas tem poucas razões para festejar: terminou a época de forma tristonha, somando maus resultados e com uma derrota em casa diante do Moreirense. 
  
Fazer 28 pontos num campeonato de 34 jornadas só dá mesmo a permanência porque esta é uma Liga de 18 equipas em que… só descem dois, tendo Penafiel e Gil feito pontuações muito baixas. 
  
Em polo oposto, o Moreirense confirmou, na jornada derradeira da prova, a bela época que fez: triunfo justo fora de portas, 43 pontos somados a ilustrar um belíssimo 11.º lugar, bem bom para quem vem da II Liga. 
  
Miguel Leal reforça, com a vitória de hoje em Arouca, o estatuto de um dos treinadores desta Liga: conseguiu colocar no Moreirense um futebol simultaneamente bonito e eficaz. 
  
Passou, com justiça, em Arouca, graças à capacidade de saídas rápidas, bem assistidas por Patrick (0-1) e Fati (0-2), duas vezes concretizadas por Gerso Fernandes, extremo guineense cedido pelo Estoril. 
  
A hora dos juniores 

Miguel Leal ainda conseguiu colocar em campo Ricardo Almeida, jovem internacional português sub-18 que apontou 31 golos nos juniores esta época, e João Sousa, jovem central vindo do Massamá, que se estrearam na primeira equipa. 

Do lado arouquense, a má exibição teve como dos poucos momentos positivos a entrada de outro júnior, Tucka. 

Ainda assim, a reação na última meia-hora justificou o golo marcado por Vuletich, que permitiu a redução por 1-2. O empate não esteve muito longe, mas o desacerto na finalização foi grande. 
  
FICHA DO JOGO E AO VIVO 
   
O jogo começou em rotação muito baixa. As duas equipas atuaram com várias alterações no onze e isso notou-se nos primeiros minutos, com futebol morno e pouco definido.  

O Arouca tentou assumir ascendente, mas sem criar grande perigo. Quando era preciso, Marafona estava lá. 

Mas aos poucos o Moreirense foi aparecendo, em saídas rápidas, e foi mesmo assim que Gerso conseguiu bisar. 

Arouca ainda reduz 

A ganhar 0-2 ao intervalo, o Moreirense optou por segunda parte de gestão. O Arouca chegou perto do 1-2 (os remates de Iuri Medeiros e Artur), mas de vez em quando Caleb ia tentando ousar o 0-3. 

A diferença mínima aceita-se, o empate não deslustraria, mas o triunfo do Moreirense premiou a equipa mais eficaz. 

À imagem da má ponta final de campeonato (apenas dois pontos nos últimos 15 possíveis), o Arouca falhou nos momentos mais importantes.