segunda-feira, 11 de maio de 2015

Moreirense-V.Setúbal, 3-1 (crónica)


Má publicidade ao futebol. Moreirense e V.Setúbal protagonizaram um espetáculo pobre, sem alma e a um ritmo de quem já cumpre calendário, apesar de o resultado poder iludir o contrário com três golos nos últimos seis minutos. O triunfo sorriu ao conjunto da casa, o Moreirense, que mesmo sendo a equipa que menos precisava de pontos foi mais audaz.

Um bis de Arsénio e a estreia a marcar de Alex na Liga bateram os sadinos, que ainda envolvidos nas contas da manutenção, não conseguiram rubricar um lance ofensivo digno de registo. Apenas de grande penalidade o conjunto de Bruno Ribeiro ousou rematar à baliza.

Marafona não fez qualquer defesa complicada, num jogo demasiado mau para uma equipa que vai respirando com algumas dificuldades. Em relação ao jogo da última jornada, em que foi derrotado no Bessa, Miguel Leal fez apenas uma alteração forçada do onze do Moreirense. Coronas manteve-se no onze, desta feita no lugar do castigado Paulinho. Elízio regressou ao lado esquerdo da defesa.

Por seu turno, na equipa do V.Setúbal registaram-se duas alterações. Hélder Cabral, lesionado, e Advíncula saíram do onze, dando os seus lugares a Pelkas e a Miguel Pedro. João Schmidt recuou no terreno e foi aposta de Bruno Ribeiro no lado esquerdo da defesa.

DESTAQUES DO MOREIRENSE-V. SETÚBAL
 
O conjunto de Moreira de Cónegos chegou à vantagem no marcador por intermédio de Arsénio, a meias com Venâncio. Com tempo para tudo, o extremo do Moreirense posicionou-se em carreira de tiro e atirou para o fundo das redes, contando com um desvio do defesa do V.Setúbal.

Seria de esperar uma reação do conjunto de Setúbal, mas os sadinos nem intenção esboçaram. Mesmo tranquilo na tabela classificativa, e sem imprimir um ritmo elevado ao jogo, continuaram a pertencer ao Moreirense as melhores ocasiões de golo, que já no segundo tempo enviou uma bola ao ferro por intermédio de João Pedro.

Arsénio, a figura do encontro, pareceu arrumar com a questão a seis minutos do final do encontro, bisando na partida, mas uma grande penalidade ainda deu uma réstia de esperança ao V.Setúbal. Schmidt converteu o castigo máximo que penalizou uma mão na bola de Bolívia no interior da área e relançou o jogo. Redução da desvantagem imerecida.

Contudo, Alex voltou a ampliar a vantagem no minuto seguinte e conferiu justiça ao marcador, assegurando mais três pontos para o tranquilo Moreirense.

Bruno Ribeiro afirmou antes do jogo que se tratava do jogo mais importante da época para os sadinos, considerando-o mesmo uma final. Não parecia. O Vitória fez muito pouco e perdeu uma oportunidade de dar um passo gigante na fuga ao penúltimo lugar.

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/vitoria-setubal/liga/moreirense-v-setubal-3-1-cronica"