domingo, 16 de agosto de 2015

Moreirense vs Arouca - Análise

Início de campeonato desastroso para o Moreirense. Após um pré-epoca má os adeptos esperavam uma reacção no primeiro jogo do campeonato. E a verdade é que nem entramos mal e até fizemos uma primeira razoável tendo em vista todas as alterações no onze em relação à época passada. Com um sistema táctico diferente do normal, tendo em vista a falta de avançados, apresentamo-nos em campo num 4-4-2 com Luis Carlos e Boateng a jogarem bem abertos na frente, apoiados por um meio campo muito povoado, com uma surpresa chamada Patrick, ele que se viria a revelar decisivo negativamente no jogo. Com o Arouca apostado em conquistar pontapés de bola parada, o Moreirense ia tentado jogar no meio campo adversário, tentando dar pouca posse de bola ao adversário. Os visitantes conquistaram muitos cantos muito por culpa dos contra-ataques que iam conseguindo durante o jogo, mas em nenhuma ocasião conseguiu criar perigo através desses cantos. Até foi através de ataque corridos que o Arouca criou mais perigo, permitindo a Nilson três defesas de bom nível. O Moreirense ia conseguindo explorar as costas da defesa Arouquense, e com isso conseguiu criar dois lances de golos feitos, que so faltou mesmo fazê-los. Primeiro Luis Carlos, em jogo e sozinho tenta fazer um chapéu a Bracalli e recolher a bola mais à frente, mas o guarda-redes ficou com a bola, não pode acontecer aquilo, tem de se marcar estes lances. Depois foi Evaldo que falou com a baliza escancarada, após um grande cruzamento de Filipe Gonçalves, o defesa que se envolveu no ataque conseguir fazer o mais difícil e falhar. Boateng era dos mais irreverentes mas quis fazer muitas coisas sozinho, tem de levantar mais a cabeça e olhar para os lados e procurar apoios. Vítor Gomes acrescenta muita classe no meio campo.

Na segunda-parte o Moreirense parece que entrou perdido e permitiu ao Arouca controlar o jogo. Não conseguimos criar perigo, e o Arouca foi tremendamente eficaz. Através de um canto, o Arouca chegou ao golo após alguns ressaltos, com o marcador do golo a aparecer sozinho no interior da área. O Moreirense não conseguiu reagir, e nem as alterações surtiram efeitos na equipa. Patrick, como já foi referido anteriormente, foi decisivo no segundo golo dos visitantes. Com uma rosca para trás, deu a posse de bola aos adversários e no correr da jogada surge o golo do Arouca, golo esse que viria a matar com o jogo.


Claramente que precisamos de um avançado, já se viu que Cardozo não pode ser solução, muito menos Boateng. Faz falta um extremo experiente, alguém que saiba atacar e defender, e que saiba com toda a certeza o que faz. Agora o mais importante é recuperar a confiança do plantel, até porque vêm dois jogos pela frente fora de casa, com Estoril e Benfica, serão provas de fogo a esta equipa já de si abalada por este resultado. Vai ser um época difícil mas que com o apoio de todos iremos conseguir a manutenção. 

Ficha de Jogo

Moreirense
1 - Nilson
95 - Sagna
4 - Danielson
26 - Marcelo
6 - Evaldo
7 - Alan
27 - Patrick
66 - Filipe Gonçalves
23 - Vitor Gomes
25 - Luís Carlos
29 - Boateng

Suplentes
3 - André Micael
8 - André Fontes
10 - Calles
11 - Ernest (entrou aos 76’)
17 - Fati (entrou aos 77’)
60 - João Palhinha (entrou aos 68’)

Disciplina
Amarelos: Marcelo Oliveira 44’, Alan 84’, Patrick 58’, Vitor Gomes 73’

Treinador
Miguel Leal

Arouca
1 - Bracalli
13 - Araujo
3 - Hugo Basto
4 - Velázquez
6 - Lucas Lima
66 - Nuno Coelho
8 - David Simão
50 - Nuno Valente
17 - Roberto
77 - Leandro
11 - Ivo Rodrigues

Suplentes
85 - Rui Sacramento
16 - Dabó
5 - Borja
22 - Adilson
10 - Pintassilgo
30 - Petrolina
99 - Maurides

Disciplina
Amarelos: Hugo Basto 36’, Lucas Lima 54’, Nuno Coelho 52’, Maurides 90’

Golos: Nuno Coelho 69’ e Maurides 90’

Treinador

Lito Vidigal