domingo, 31 de janeiro de 2016

Moreirense vs Benfica - Análise

Poucos dias após o jogo para a taça da liga, o Moreirense voltou a receber e a perder com o Benfica. Com onzes totalmente remodelados quer de um lado quer do outro, o Benfica voltou a ser mais forte e totalmente eficaz no jogo desta noite. O Moreirense entrou recuado e a dar o controlo do jogo ao adversário. E não durou muito o primeiro golo da noite, Jonas salta sem marcação no coração da grande área e faz facilmente o primeiro golo da sua equipa, mais um dos muitos e sucessivos erros da defensiva do Moreirense a permitir que o adversário marcasse de forma tranquila. O Moreirense após o golo o golo foi paulatinamente crescendo chegando até a tomar conta do jogo. A equipa da casa estava à procura do empate de uma forma corrente e constante, porém recorrendo algumas vezes ao jogo direto, o que facilitava e muito tarefa da defensiva do Benfica. Iúri Medeiros era o jogador mais esclarecido sendo que a maioria dos ataques da sua equipa passava pelos seus pés, foi dele a melhor oportunidade do Moreirense na primeira parte, com Júlio Cesar a defender com alguma dificuldade para o lado. Contudo a eficácia do Benfica neste jogo foi tremenda, e pouco antes do intervalo, num contra-ataque após um cruzamento em esforço de Eliseu (Iúri não o acompanhou e teve via aberta no flanco esquerdo), Mitroglou marcou um golo de belo efeito e de difícil execução. Foi um rude golpe para o Moreirense, pouco antes do intervalo, no melhor período de jogo do Moreirense, com essa vantagem o Benfica ia muito mais descansado para o intervalo.

Na segunda parte, o Moreirense ia tentando mais com o coração do que com a cabeça o golo que os pudesse relançar na partida, mas o ataque era sempre bem secado pela defensiva visitante. Até ao terceiro golo do Benfica o Moreirense conseguia não permitir grandes incursões ofensivas dos visitantes, mas a seguir ao terceiro golo a formação encarnada dominou o jogo completo e não mais permitiu ao Moreirense chegar com perigo à baliza. Os visitantes fizeram facilmente o quarto golo, no quarto remate direcionado na baliza do Moreirense, e castigava em demasia o jogo e a resposta razoável que o Moreirense estava a dar à desvantagem. Já no último minuto mais uma vez Iúri Medeiros reduziu o marcador para 4-1, e marcou assim um golo não foi mais que um golo de consolação para a nossa equipa.


Este foi um jogo decido pela eficácia encarnada e pela incapacidade do Moreirense rematar à baliza. O Benfica foi provavelmente o adversário mais forte que defrontamos esta época, e não ia ser este jogo, ou os pontos deste jogo que no daria a manutenção. Por isso temos de arregaçar as mangas e ganhar os jogos do nosso campeonato, seguem-se agora uma serie de jogos em casa com essas equipas, e nós EXIGIMOS, repetimos, EXIGIMOS que a equipa assuma esses jogos e joga para ganhar.