sábado, 13 de fevereiro de 2016

Moreirense-Belenenses, 2-3 (crónica)


FIGURA: Bakic

O Belenenses entrou a perder no encontro, deu a volta ao resultado e viu o Moreirense empatar novamente de bola parada. Contratempos que a qualidade de jogo apresentada pela turma de Belém soube ultrapassar. Coube ao montenegrino Marko Bakic vestir a pele de justiceiro, apontando de cabeça o golo que carimbou o triunfo do Belenenses. Segundo golo do reforço de inverno em cinco jogos a coroar uma exibição pouco vistosa mas equilibrada e pragmática.

MOMENTO: golo de Bakic (66’)

Cabeçada para o triunfo. Carlos Martins bate o canto na esquerda, muito chegado à baliza, o montenegrino do Belenenses apareceu ao primeiro poste, completamente livre de marcação, a cabecear de forma subtil para o fundo das redes, confirmando o triunfo da turma de Belém.

NEGATIVO: reação de Velázquez

A grande penalidade assinalada a Geraldes no lance com Danielson, logo aos 12 minutos, deixa muito a desejar, mas o técnico espanhol não pode reagir da forma como reagiu. Julio Velázquez barafustou muito e pontapeou mesmo um pedaço de lama na direção do quarto árbitro. Reprovável, assim como o facto de não ter sido expulso. Acabou por ser convidado a sair do banco de suplentes nos instantes iniciais da segunda parte, após o segundo golo dos cónegos.

Aguilar

Estreia a marcar com a camisola do Belenenses no segundo jogo ao serviço da equipa do Restelo. Qualidade técnica a vir ao de cima no golo do empate, um remate de primeira à entrada da área sem hipóteses para Stefanovic. O internacional colombiano deu estabilidade ao setor intermediário do Belenenses.

Rafael Martins

Bis do avançado brasileiro, o terceiro da temporada. Sereno na marca dos onze metros a fazer o 11º golo na presente edição da Liga, oportuno depois a fazer o 16º da temporada em todas as competições. O jogo pediu a sua habitual luta e o brasileiro correspondeu entre os centrais da turma de Belém. Quando teve oportunidade não desperdiçou. Já perto do final do jogo, à segunda «tentativa», viu um segundo amarelo que o afasta da visita ao Dragão. Gestão de Miguel Leal?

Fábio Nunes

Adaptado na lateral esquerda, o extremo rubricou uma exibição positiva destacando-se na profundidade ofensiva que conferiu à equipa de Velázquez. A adaptação não foi uma novidade, mas ainda assim a forma como o jovem de 23 anos fechou o lado esquerdo é digna de realce.

Nildo

O terreno de jogo não estava propriamente propício ao seu estilo de jogo, mas a verdade é que o brasileiro de 29 anos esteve sempre muito ativo tentando usar da sua velocidade para desequilibrar. Preponderante no segundo golo dos cónegos.

Carlos Martins

Foi, surpreendentemente, o homem mais adiantado da equipa do Belenenses jogado como avançado entre Miguel Rosa e Sturgeon. Mostra a sua qualidade técnica em qualquer posição e fez a oitava assistência da temporada. Está apenas atrás de Layun, Jonas e Gaitán.