domingo, 13 de março de 2016

Moreirense-Académica, 2-2 (crónica)


Tudo na mesma. A Académica continua sem saber o que é vencer fora de portas na presente edição da Liga, o Moreirense continua com imensas dificuldades a jogar no seu reduto e completou o oitavo jogo em casa sem vencer. Contas feitas, de um jogo pobre sobra um ponto para cada um dos emblemas fruto do empate a duas bolas.

Empate com menos sabor para os estudantes, que estiveram a vencer por duas ocasiões, mas deixaram-se empatar das duas vezes e ainda enviaram uma bola ao ferro nos últimos instantes do encontro. O travessão devolveu o esférico e o consequente empate atirou novamente a turma de Coimbra para a zona de despromoção.

A Académica pareceu querer entrar de forma mais destemida no encontro, sem medo de assumir o jogo e aproveitando-se de um inequívoco desconforto do Moreirense para jogar com mais intensidade junto à baliza de Stefanovic.

Ainda assim foi preciso esperar por meia hora de pontapés na bola apara se registar o primeiro remate a uma das balizas. No caso à baliza de Pedro Trigueira, com o guardião da turma de Coimbra a suster o remate de Rafael Martins sem grandes dificuldades.

Ao primeiro remate a uma das balizas a Académica respondeu com o golo. Rui Pedro serviu Nii Plange que, de forma pouco ortodoxa, passou por Marcelo Oliveira, rematando depois de pé esquerdo para o fundo das redes, vendo, no entanto, a bola ainda bater no poste antes de entrar.

Golo a premiar a maior clarividência dos estudantes que, mesmo não apresentando uma qualidade de jogo assinalável, ocuparam melhor os espaços diante de um Moreirense que continua sem soluções para esconder a dependência que esta equipa tinha de Rodrigo Battaglia.

Miguel Leal não perdeu muito tempo a mexer na equipa depois do intervalo. Boateng foi aposta quando estavam decorridos nove minutos do segundo tempo e o ganês marcou no preciso momento em que entrou em campo.

Tirou um «coelho» da cartola o técnico do Moreirense, com o extremo ganês a marcar ao primeiro toque na bola, correspondendo da melhor forma a um bom trabalho da asa direita do Moreirense, pertencendo a Iuri Medeiros o cruzamento para o remate letal de Boateng.

Galvanizou-se o Moreirense com o golo, passando pelo seu melhor período. Conquistou uma série de cantos, jogou mais no meio capo adversário, mas continuou a estar lá a falta de inspiração para fazer mais.

Quando o ímpeto ofensivo do Moreirense quebrou voltou a passar para a frente a Académica com um golo oportuno de Leandro Silva de cabeça, que correspondeu da melhor forma a um cruzamento de Rafa Soares da esquerda quando faltavam doze minutos para os noventa.

Parecia que a Briosa não ia deixar escapar os três pontos, mas Iuri Medeiros voltou a fazer das suas e pouco tempo depois conquistou uma grande penalidade ao driblar sobre João Real. Da marca dos onze metros Rafael Martins não desperdiçou e assinou o resultado final.

Estava escrito o resultado final, mas ainda havia mais para contar. Hugo Seco ainda esteve na cara de Stefanovic, mas viu o guarda-redes defender para a barra. Último suspiro. A Académica volta aos lugares de despromoção depois de uma semana mais desafogada.

O empate acaba por se justificar, ainda que com um amargo de boca para os estudantes. A equipa de Moreira de Cónegos mantém os quatro pontos de margem para os lugares de despromoção, mas precisa de fazer claramente mais. É uma equipa claramente numa curva descendente.

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/13-03-2016/moreirense-academica-2-2-cronica"