sábado, 10 de dezembro de 2016

Desp. Chaves-Moreirense, 2-1 (crónica)


Rafael Lopes cabeceou para os três pontos

Moreirense foi melhor mas Ricardo guardou a sua baliza e Rafael Lopes fez a surpresa ao marcar o golo da vitória.

Após quatro empates consecutivos o Desportivo de Chaves regressou às vitórias na Liga ao derrotar em casa por 2-1 o Moreirense, que não merecia perder mas teve a primeira derrota da era Augusto Inácio, ao terceiro jogo.

Aproveitando os regressos de Paulinho e Fábio Martins, após castigo, Jorge Simão mexeu no onze, substituindo Pedro Queirós e Vukcevic, lançando ainda Fábio Santos para o lugar do castigado Assis, num total de três mexidas. Do outro lado, com a chicotada psicológica a resultar, Augusto Inácio apresentou-se em Chaves com o mesmo onze que derrotou o Nacional em casa na jornada anterior.


Entrou melhor o Moreirense na partida a criar bem cedo a primeira oportunidade, com Dramé a ganhar a linha na esquerda e a servir Boateng, mas este a atirar mal. Do mesmo lado, aos 9, Francisco Geraldes descobre Podence à entrada da área, mas este também mostra pólvora seca.

Jogavam mais e melhor os visitantes, mas foram os flavienses mais pragmáticos e práticos, a fazerem mesmo o primeiro golo. Num lançamento pela direita, Paulinho redimiu-se de um mau arranque e lançou para William, que à ponta-de-lança recebeu e atirou de costas para a baliza para o golo.

A ganharem, os flavienses ficaram mais fortes na partida, mas não deixaram de dar a iniciativa ao adversário, que continuou a trocar bem a bola. Com Podence a alimentar o motor dos cónegos, o golo parecia uma questão de minutos… e foi.

Aos 21 numa excelente combinação com Francisco Geraldes, Podence recebeu de peito e atirou muito perto da baliza de Ricardo, mas o jogador emprestado pelo Sporting mostrava mais talento a servir os colegas e aos 32 minutos isolou Boateng que fugindo à marcação atirou para o empate.

Apanhados de surpresa, os transmontanos tentaram reagir, mas apenas aos 33 minutos assustaram Makaridze, com William a entrar na área e a tentar servir Fábio Martins, que não conseguiu encostar e a defensiva do Moreirense aliviou.

Com o meio campo do Chaves em sub-rendimento, e sem alterações com o reinício do jogo, Jorge Simão tratou de mexer ainda antes dos 60 minutos, com Patrão a ser chamado. O médio mexeu um pouco com a partida, mas ainda sem estar satisfeito o técnico dos flavienses lançou ainda Rafael Lopes, arriscando ao retirar o trinco, Fábio Santos, para a entrada do avançado regressado de lesão.

Do outro lado Augusto Inácio mantinha a confiança na sua estratégia, refrescando apenas a equipa, com as entradas de Nildo e Ramirez. E fez bem o técnico do Moreirense, pois Podence continuou a alimentar a luta pelos três pontos.

Aos 71 é Rebocho a combinar bem com Nildo que fresco invadiu a área e atirou para defesa apertada de Ricardo. Mas o guarda-redes do Chaves teve de se aplicar ainda mais aos 78, quando Podence descobriu o recém-entrado Ramirez na área, mas este não desfeiteou Ricardo.

Com o susto, a equipa da casa respondeu de imediato pela direita, com a bola a sobrar para Fábio Martins à entrada da área, que em remate acrobático obrigou Makaridze a defesa apertada, e Rafael Lopes na recarga a acertar num defesa contrário.

Podence continuava ligado à corrente, e mesmo aos 88 minutos pegou na bola no seu meio campo e correu mais de 50 metros, tirando toda a gente do caminho menos Ricardo, que negou o golo com uma grande defesa.

Mas o jogo ainda tinha uma surpresa reservada para o final, com uma estreia a marcar inclusive. Numa descida pelo flanco Nélson Lenho cruzou para o segundo poste onde apareceu Rafa a cabecear colocado. Primeiro golo do avançado na Liga esta temporada a renderem surpreendentemente os três pontos aos flavienses.

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/10-12-2016/desp-chaves-moreirense-2-1-cronica"