sábado, 13 de maio de 2017

Belenenses-Moreirense, 1-1 (crónica)


Jogo de loucos no Restelo num braço de ferro em que ninguém saiu a ganhar e acabou mesmo com um empate. Domingos Paciência falhou o objetivo de despedir-se dos adeptos com uma segunda vitória, no último jogo da época no Restelo, enquanto o Moreirense, apesar de somar o quinto jogo consecutivo a pontuar, continua sem conseguir festejar a manutenção.

O Moreirense procurou assumir as despesas do jogo desde o primeiro apito de Tiago Martins, afinal de contas, era a equipa que mais tinha a ganhar esta noite. Com a mesma equipa que há uma semana tinha ganho ao Sp. Braga, apenas com Tiago Almeida a render o castigado Sagna no lado direito da defesa, a equipa de Petit procurou imprimir um ritmo forte desde início, com Nildo e Alex abertos sobre as alas no apoio a Boateng.

O Belenenses, por seu lado, entrou mais na expetativa, com três alterações em relação ao triunfo sobre o Sporting, com a curiosidade de ter começado o jogo com quatro laterais de raiz, Edgar Ié e João Diogo sobre a direita, Florent Hanin e Mica Pinto no lado contrário. Com o Moreirense a procurar chegar rápido à área do Belenenses, João Dioo surpreendeu tudo e todos logo aos 7 minutos com um pontapé do meio da rua. A bola, em arco, ganhou efeito e deixou Makaridze, ligeiramente adiantado, pregado ao relvado. Golaço!

O Moreirense procurou reagir de imediato, aumentando ainda mais a intensidade, mas o Belenenses, agora a jogar em contra-ataque, quase voltou a marcar logo a seguir, com João Diogo a destacar Persson e o sueco a rematar contra as pernas de Makaridze que tinha saído ao seu encontro. Petit abdicou então de um dos «trincos», Saré, para juntar Sougou a Boateng na frente de ataque, à procura do empate, mas foi o Belenenses que teve nova oportunidade, outra vez por João Diogo, desta feita com uma cabeçada a cruzamento de Edgar Ié. O Moreirense só conseguiu assustar Ventura no último lance da primeira parte, num lance em que Sougou fugiu a toda a gente e rematou já no interior da área, obrigando o guarda-redes do Belenenses a uma defesa a dois tempos.

Já com a segunda parte a decorrer, Petit arriscou tudo e quase deitou tudo a perder. Abdicou de um central, Diego Ivo, para lançar Alan Schons, o autor do golo frente ao Sp. Braga, para o ataque. A ideia era Cauê fazer as devidas compensações no eixo defensivo, mas dois minutos depois, Diego Galo, o central «sobrevivente», foi expulso ao derrubar Maurides, ainda fora da área, na sequência de mais um contra-ataque do Belém. Em dois tempos, o Moreirense ficava sem centrais.

A perder e com menos um jogador, a vida não podia correr pior ao Moreirense, mas correu. Mais um ataque do Belenenses e Alan Schons, acabado de entrar, fez falta sobre João Diogo, desta vez dentro da área. Grande penalidade para o Belenenses, mas Maurides atirou rasteiro e Makaridze manteve a equipa de Moreira de Cónegos viva. Tão viva que, com menos um em campo, acabou mesmo por chegar ao empate, aos 62 minutos. Remate de ressaca de Nildo Petrolina, de fora da área, após amortecimento de Boateng. A bola entrou mesmo no cantinho da baliza de Ventura. O jogo estava de loucos.

O golo revigorou o Moreirense que voltou a acreditar que podia fazer a festa hoje, mas também o Belenenses, agora também com Tiago Caeiro, a procurar despedir-se do Restelo com uma vitória, um bem escasso para os lados de Belém (apenas quatro ao longo de toda a temporada).

Neste braço de ferro, ninguém saiu a ganhar e acabou mesmo com um empate. Domingos Paciência falhou o objetivo de despedir-se dos jogos em casa com uma segunda vitória, enquanto o Moreirense, apesar de cinco jornadas a pontuar, ainda não garantiu a manutenção. De qualquer forma, a equipa de Moreira de Cónegos pode ainda festejar este sábado, caso o Tondela não consiga vencer em Arouca.

in "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/33-jornada/belenenses-moreirense-1-1-cronica"